Fundação MT

Reconhecimento dos nematoides é importante para controle destes inimigos da lavoura de soja

Os nematoides Heterodera glycines e Pratylenchus brachyurus são, de acordo com a pesquisadora, os mais frequentes nas lavouras de Mato Grosso. Eles já estão disseminados em muitas lavouras no estado e se não controlados poderão aumentar o grau de agressividade.

“Os nematoides são patógenos que uma vez detectados, os produtores terão que sempre conviver com eles, porém terão que estar à frente, sempre utilizando medidas de manejo que façam com que eles fiquem sempre em populações abaixo do nível de danos econômico.”

Um conjunto de medidas que incluem ferramentas biológicas, químicas, cultural e genética devem, segundo Silva, ser usadas para reduzir as populações dos nematoides. “Uma só medida não resolve. Tem que adotar um conjunto”, ressalta.

A pesquisadora explica que as ferramentas biológicas devem ser adotadas, para que a microfauna do solo seja favorecida; a cultural deve ser usada com plantas não hospedeiras, que não alimenta os nematoides e que contribua para aumento da matéria orgânica; a genética deve ser praticada para que não possibilite a multiplicação dos nematoides ou que não lhes permita multiplicar em sua plenitude; e a química, para que possam possibilitar um período de proteção inicial às raízes, e essas possam conseguir melhor desenvolvimento.

“Produtor e equipe devem lembrar que os nematoides são patógenos que exige atenção continuada e sempre que esquecidos irão roubar sua produção. Para que possam produzir na presença deles é necessária à adoção conjunta de ferramentas de manejo”, recomenda.

{IMG|707